Eu e o Bam

Devido a um desafio literário, iniciei-me no mundo dos blogues. Sempre foi uma coisa que me interessou, mas nunca cheguei a fazer nada - ou melhor, começava e depois abandonava. Não é bonito, eu sei, mas é assim...


O nome do blogue, eu sei que é uma coisa estranha. Mas foi um nome inventado um pouco à pressão, e que na altura me pareceu bem. Embora agora já não me soe tão bem, fica. 

Assim sendo, deixo-vos aqui algumas fotografias do gato que deu o nome ao blogue.








Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.