Vencedores do Passatempo | 5º Aniversário do Eu e o Bam

janeiro 01, 2018


E agora que 2018 começou, está na hora de anunciar os vencedores do passatempo. Entrar no ano a receber livros é sempre fantástico!

Ao todo, houve 67 participações, entre o formulário e os comentários com os follows. Prontos?

1. Pedro Oliveira, com o livro Deus Não Mora em Havana, de Yasmina Kadra
2. Helena Bracieira, com o livro A Súbita Aparição de Hope Arden, de Claire North
3. Alexandra Guimarães, com o livro Insónia, de J. R. Johansson
4. Elisa Esteves, com o livro O Assassino do Bobo, de Robin Hobb
5. Filipa Vilhena, com o livro A Coroa, de Kiera Cass
6. Carina Pereira, com o livro Os Contos dos Irmãos Grimm, de Tiago Azevedo
7. Sílvia Ávila, com o livro Juntos para Sempre, de Walcyr Carrasco
8. Berta Vinagre, com o livro Rosas Brancas, de Dulci Ferreira
9. Paula Dinis, com o livro Encontro com o Passado, de Diana Pinto
10. Ana Paula Sousa, com o livro O Pequeno Livro de Astronomia, de Máximo Ferreira

Espero que fiquem contentes com os vossos prémios e que desfrutem das leituras!

No próximo passatempo, tenho de adoptar outra maneira de atribuição de prémios 😂 tudo bem que este foi em grande escala, mas estive super atenta para não me enganar nas vossas ordens de preferência, e definitivamente não é o método mais simples! Alguma sugestão?


You Might Also Like

2 comentários

  1. Muito Obrigada! Já respondi ao email :) Bom 2018!

    ResponderEliminar
  2. Parabéns aos vencedores!
    Imagino que deva ser muito difícil gerir um passatempo, imagina mais nestes moldes.
    Feliz 20181
    ;)

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.