[Opinião] Londres de Shakespeare por Cinco Groats ao Dia, de Richard Tames | Editorial Bizâncio

janeiro 12, 2018

Londres de Shakespeare por Cinco Groats ao Dia
Título: Londres de Shakespeare por Cinco Groats ao Dia
Título Original: Shakespeare's London on 5 Groats a Day
Autor: Richard Tames
Editora: Editorial Bizâncio
Ano de Publicação: 2017

Bem-vindos à cidade de Shakespeare e da rainha Isabel. 
Os fiéis súbditos de Sua Majestade sentem que estão a viver uma época de ouro ─ Junte-se a eles e perceba porquê.
Explore Londres nos finais do século XVI, cidade de cortesãos, criminosos, mercadores, mendigos, advogados, dramaturgos, aprendizes e aventureiros.
Este guia original e fascinante, baseado nas obras de autores da época dos Tudors e em panfletos, mapas, testamentos e documentos legais da mesma época, oferece uma perspectiva privilegiada da cidade de Londres no tempo da rainha Isabel, quando era vista na Europa como a «Cidade do Futuro».

*******************

Há muito tempo que andava a fugir a esta colecção da Bizâncio. Com títulos tão interessantes, como Florença Renascentista por Cinco Florins ao Dia ou Roma Antiga por Cinco Denários por Dia, entre outros, eis que este livro sobre Londres é lançado e eu rendo-me por completo a esta colecção.

Não sabia o que esperar quando comecei a ler Londres de Shakespeare, mas certamente fui surpreendida. Trata-se de um guia turístico para uma Londres do final do século XVI, onde tudo é apresentado ao leitor como era em 1599, de uma forma tão leve e engraçada que rapidamente chegamos ao fim com pena de não ter mais páginas.
O guia está dividido em várias partes, tal como um roteiro actual: os londrinos, a gastronomia, compras e lazer, quem é importante, e outros temas que farão as delícias dos leitores que gostam de Londres e têm curiosidade em saber como era há uns séculos atrás. Poderá haver algumas passagens que chocam um pouco, como quando as mulheres são rebaixadas por serem mulheres, mas temos de ter em mente que é, supostamente, outro século. Sinceramente, eu ri-me durante essas passagens, pois a mentalidade era tão diferente e o autor escreve-as de forma tão engraçada que não pude evitar.
O livro é extremamente interessante e bastante educativo, de uma maneira relaxada e fácil de entender. As ilustrações são também um ponto bónus, tal como o mapa no final do guia. No entanto, não consegui resistir ao impulso de pesquisar mais imagens durante a leitura. Alguns dos edifícios estavam descritos de forma tão apelativa que tinha de saber exactamente como é que eles são.

Eu comecei a ler este livro em Novembro, depois tive-o parado durante quase dois meses, e depois acabei-o de uma assentada. Estava a ler vários livros ao mesmo tempo e isto acabou por acontecer... mas este livro teve um efeito muito especial em mim. Eu estava a participar no NaNoWriMo e ler as primeiras páginas inspirou-me para escrever uma nova história, que estou a adorar.

Foi a minha primeira experiência com um livro deste género e agora arrependo-me de não ter dado uma oportunidade a esta colecção antes. Agora, definitivamente vou querer ler mais destes livros! Para os amantes de Londres e história, leiam este Londres de Shakespeare por Cinco Groats ao Dia, é uma leitura interessantíssima e sem dúvida diferente.

"A admissão depende do desempenho do candidato em exames que são, naturalmente, feitos em latim e por isso excluem inevitavelmente as mulheres."
acerca da Medicina

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.