domingo, 30 de julho de 2017

Despertar do Crepúsculo, de Anne Bishop - Sinopse & Opinião [Saída de Emergência]

Despertar do Crepúsculo (The Black Jewels #9)
Título: Despertar do Crepúsculo
Título Original: Twilight's Dawn
Série: Jóias Negras #9
Autora: Anne Bishop
Editora: Saída de Emergência
Ano de Publicação: 2011
Número de Páginas: 403

Os "sombriamente fascinantes" romances das Jóias Negras de Anne Bishop, autora de sucesso consagrada no top do New York Times, têm cativado igualmente leitores e críticos devido à mescla de fantasia, intriga e romance. Com o presente Despertar do Crepúsculo, Bishop regressa ao reino dos Sangue com quatro inéditas e fascinantes novelas.

Prendas de Winsol
Daemon, Príncipe dos Senhores da Guerra de Joias Negras de Dhemlan, está ainda a adaptar-se ao seu primeiro ano de casado com a sua Rainha Feiticeira, Jaenelle. Porém, com a aproximação da celebração do Winsol que se prolonga por treze dias, Daemon tem de lidar com demasiadas solicitações ao mesmo tempo que se assume como anfitrião da sua admirável família.

Cambiantes de Honra
Ainda a recuperar da provação que a deixou ferida e furiosa, Surreal regressa a Ebon Rih sob as ordens do Príncipe Lucivar. Quando o seu antigo amante Falonar desafia impiedosamente a autoridade da família à qual ela pertence, Surreal poderá, por fim, sucumbir às trevas que ardem no seu âmago.

Família
Quando alguém arma uma cruel cilada à Rainha Sylvia e aos seus filhos, as sequelas consomem por completo as vidas da família reinante de Dhemlan. Terão de desvendar a identidade do Senhor da Guerra conhecido somente como Sem Rosto antes que regresse para terminar o que começou.

A Filha do Senhor Supremo
Após a perda das duas pessoas mais importantes da sua vida, Daemon assumiu o papel de seu pai, Saetan, como Senhor Supremo do Inferno, construindo um muro em redor do seu coração. Porém, ao estabelecer inadvertidamente uma nova relação, bastará ela para o libertar da sua vida desprovida de amor?

***********

Um livro que marca o fim de uma época. Treze anos mais tarde, Anne Bishop termina a sua série Jóias Negras, e que melhor forma para o fazer do que com quatro contos fantásticos, repletos de detalhes que irão, certamente, atenuar a despedida deste mundo maravilhoso.

Prendas de Winsol
Se não estou em erro, é o mais pequeno dos contos, mas também o que menos me agradou. É bastante inocente, uma história feliz, apesar das preocupações que atormentam as personagens, sinto que deixou bastante a desejar. Este conto foi um dos motivos que me levou a demorar tanto tempo a terminar este livro. Porquê? Por ser tudo tão bonitinho, tão cor-de-rosa, tão... hmmmm. Eu sei que as personagens têm direito a ser felizes e a ter paz e sossego, mas estava habituada a algo mais sombrio. Felizmente, a partir daqui, é sempre a melhorar.

Cambiantes de Honra
Enquanto me perdia por Ebon Rih, não pude deixar de recordar que durante os primeiros três livros das Jóias Negras eu não gostava do Lucivar... E agora é-me uma personagem tão querida. É raro isto acontecer-me, não suportar uma personagem mas chegar ao fim e ter um lugar especial para si. Gostei bastante do rumo que a história levou com Lucivar, mas também com Surreal, que finalmente se pôde curar e renascer com toda a força que merece. Não só as personagens cresceram, como pudemos ter mais uma ideia da vastidão do universo criado por Bishop, com tantas raças e hierarquias.

Família
Neste ponto já estava completamente viciada na leitura de Despertar do Crepúsculo. A sensação de fim começa a tomar conta de todas as páginas, pois vemos uma preocupação na autora de dar um fim a todas as suas personagens - e mais não posso dizer, mas não esperava aquele fim. O que eu pensava que ia ser o ponto alto do conto, o Sem Rosto, foi completamente relegado para segundo quando Sylvia enfrenta o seu destino.

A Filha do Senhor Supremo
Este conto começa de uma forma tão intensa que vos vais abalar, acreditem. Durante a sua leitura não consegui evitar as lágrimas... É o fim. Não esperava que Anne Bishop o fosse fazer, mas sim. Conseguiu terminar tudo, de uma maneira bonita, mas é mesmo o fim.

Espero, sinceramente, que a autora não volte a pegar neste universo. Adoro-o, mas o final foi perfeito.

Sentimentos contraditórios acompanharam esta leitura, mas garanto-vos que é um livro simplesmente fantástico. Eu não estava preparada para o que me esperava e Despertar do Crepúsculo (consegui manter-me afastada de todo o tipo de spoilers, e ainda bem!) é sem dúvida um livro para mexer com as emoções dos leitores, portanto depois não digam que não vos avisei. Naturalmente que não o aconselho a quem nunca tiver lido as Jóias Negras, mas aconselho definitivamente toda a série a todos os leitores de fantasia. Anne Bishop consegue criar mundos brutais (e falo apenas dos três que conheço, Jóias Negras, Efémera e Os Outros), que demonstram uma capacidade imaginativa e lógica simplesmente invejável; as suas personagens são inesquecíveis e mágicas, cada uma tão única e inconfundível que mais uma vez voltamos à sua imaginação sem limites; e a forma como tudo se desenrola em tramas e narrativas tão apaixonantes é apenas mais um motivo para adorar esta autora e beber todas as suas palavras.

Nove livros, nove experiências fantásticas, personagens, tramas e momentos que não devem perder. As Jóias Negras serão, num futuro, uma re-leitura obrigatória. Para os leitores de fantasia que duvidam se os seus autores e sagas preferidos vão ser traduzidos na totalidade para a nossa língua, não percam esta saga, completamente traduzida e simplesmente perfeitos.

Adeus, Sangue!

Sem comentários :

Enviar um comentário

Obrigada por comentares :)