#Cinematona Especial Óscares: Ponto de Situação

fevereiro 15, 2017


Chegamos a meio do mês de Fevereiro, o que significa que estamos a meio do mês de acabar a nossa Cinematona Especial Óscares. E como está a correr a minha prestação? Bem, podia estar a ser pior. Podia não ter visto nenhum filmes!

Ainda só vi o filme Spotlight e Room. É quase metade! E metade do Dallas Buyers Club 😊

Spotlight

Resultado de imagem para spotlight movie

É um filme brutal, tanto a nível do filme em si como daquilo que trata. Eu sabia tratar-se de uma história baseada em factos verídicos, mas nunca pensei que fosse assim. Um filme que nos deixa sem palavras, pois é tão difícil engolir o que durante duas horas nos prende a atenção... simplesmente não há forma de expressar tudo o que o filme deixa em nós. Como filme, é excelente e, apesar de não conhecer os outros candidatos ao Óscar, recebeu-o com mérito, na minha opinião. Os actores estão no ponto! Não aconselho Spotlight a toda a gente pois trata de um assunto extremamente delicado e polémico, mas vejam o trailer e, se vos chamar a atenção, então vejam o filme, pois vale mesmo muito a pena.

Room

Resultado de imagem para room movie

Desde que encontrei por acaso o livro que fiquei curiosa para o ler, mas neste caso acabei por ver a adaptação cinematográfica primeiro. Embora ainda queira ler o livro, o filme em si deixou a desejar... Esperava algo mais dramático, algo mais trágico. E acho que a performance da actriz principal, embora não seja má, não é assim tão fantástica que mereça um Óscar. Não vi os outros filmes com as outras nomeadas, mas também não vi em Room nada de magnífico que justifique o prémio.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.